O meu parto foi cesárea e viva a liberdade de escolha!

Bom, mas um assunto polêmico por aqui!
Hoje vim contar como foi meu parto e porque fiz a escolha pela cesárea e já vou avisando: toda mãe tem direito de optar por aquilo que vai achar melhor para ela e seu filho, seja qual for o tipo de parto.

foto-bebe-barriga

Me incomoda um pouco esse julgamento que vejo muitas pessoas fazerem, o fato é que a maneira que você trouxe seu filho ao mundo não te classifica como melhor ou pior mãe e fim de papo! Cada pessoa nesse mundão de meu Deus é diferente uma da outra, e cada uma sabe de suas limitações e onde o calo aperta, então coleguinha não vamos discriminar a mãe que optou por ter seu filho através de um corte na barriga… Ela também sangrou, e até mais! Também sentiu dor e também se emocionou e chorou ao ouvir seu filhote chorar pela primeira vez ao encher seu pulmãozinho, seja qual for a maneira que veio ao mundo tenho certeza que a capacidade de amar dessa mãe é a mesma!

Terminando a nossa introdução, vamos ao relato do meu parto cesáreo. 🙂

Durante a gestação o Pedro sempre foi um bebê grandinho! Pudera, eu tenho meus 1,60m (tá bom, tá bom… São 1,59 e MEIO :p) mas o pai com os seus 1,91m! Minha GO com seus 30 anos de profissão e experiência no início achava que devíamos tentar o parto normal, mas com o passar dos nossos milhares de ultras (já disse aqui que fui uma compulsiva por ultrassons, né?!) fomos constatando que o Pedro era um bebê percentil 75 para mais! Teve momento que foi até percentil 97! Ou seja, um meninão!

Uma pausa para explicar o que significa esses “percentuais”. Nos ultrassons para todas as medidas que são tiradas do bebê existe uma tabela referência que se chama Hadlock. Essa tabela indica onde o seu bebê se enquadra durante o período gestacional de acordo com percentuais.

Explicando como fazer a leitura, percentil é mais ou menos o seguinte: p50 quer dizer que está na média, p10 quer dizer que 10% dos fetos naquela idade gestacional tinham aquele peso ou medida. p90 quer dizer, ao contrário, somente 10% dos fetos tinham aquele peso ou medida naquela idade gestacional.

Voltando… Então acabamos optando pela cesárea. Só que eu queria que ele desse seus primeiros sinais para vir ao mundo no tempo dele. E graças a Deus foi assim que aconteceu. Quando eu estava nas últimas semanas fui fazer o cardiotoco e constataram as primeiras contratações, de início eu não sentia quase nada, apesar do aparelho mostrar que a intensidade era até grandinha… Naquela semana eu faria 39 semanas. E aí a nossa previsão que era pra semana que completaria 40 precisou ser adiantada! E aí que o negócio pegou… Era a semana que antecedia o carnaval… O Hospital e Maternidade Santa Joana estava lotado de reservas nas duas semanas, antes e depois do carnaval, com muito custo conseguimos a data do dia 13 de fevereiro (porque era sexta então muita gente supersticiosa não deve ter “escolhido” essa data) e eu como não queria marcar fiquei com o que acabou sobrando. Só que as contratações começaram a aumentar e ainda era começo da semana e eu comecei a entrar em pânico! Fiquei de repouso completamente, o dia todo na horizontal sem fazer nenhum tipo de esforço… Só que na quarta-feira daquela semana não deu, precisei passar no pronto atendimento do Sta Joana e estava com 1,5cm de dilatação e o hospital não tinha vagas mesmo, estavam até removendo para outros hospitais e eu queria que o Pedro nascesse lá!

Foi aí que fui medicada pra sentir menos dor e aguentar até sexta, não adiantou muita coisa… Chegando em casa ao ir fazer xixi meu tampão caiu! E quando fui tomar banho notei meu sutiã todo sujo amarelado… Era meu colostro já dando as caras.

Passei quinta-feira quietinha na minha mãe, as dores ficaram sem ritmo e não tivemos nenhum susto, graças a Deus! E às 3h da matina, depois da tentativa frustrada de dormir um pouco porque a ansiedade estava a mil, lá fomos nós para a maternidade! O Pedro viria ao mundo ❤

Ele nasceu no Santa Joana, que não tenho uma vírgula para falar, fui muito bem atendida especialmente pela equipe de enfermeiras! Às 07h50 escutei o seu choro, a emoção é indescritível, imensurável… Lembro de tentar conter as lágrimas para poder enxergar ele melhor… E que delícia sentir ele se acalmar ao ouvir minha voz… Pedro nasceu com 48cm, 3675kg (peso no percentil 76) e cabeça 35,5cm (percentil 79!).

Mamou quando cheguei no quarto, umas 2h ou 3h após o parto, e pegou certinho! Continua mamando até hoje, com 4 meses e meio somente o leite materno.

A minha recuperação da cesárea foi bem tranquila, já no hospital depois de sair do jejum eu já estava andando. Senti pouca tontura, somente na primeira vez que levantei… Não tive pontos externos, foi tudo colado e a recuperação da cicatriz está ótima! Graças a Deus! 🙂

Não estou querendo aqui dizer que a cesárea é melhor que um parto normal, longe disso!
Mas acho que cabe a cada mãe decidir como quer trazer seu filho ao mundo dentro de todo o acompanhamento médico e acontecimentos da sua gestação. As pessoas precisam praticar mais isso, seja qual for a escolha da mãe por normal ou cesárea, ela tem o direito dessa escolha.

Afinal, a mãe é que sabe o que seu coração diz, e intuição de mãe nunca falha.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s