Perguntas que minhas amigas grávidas fazem [Parte 1]

Estava aqui pensando sobre as perguntas que minhas amigas grávidas fazem e resolvi compartilhar com vocês pois quem sabe pode ser uma dúvida sua também, não é?
Vou fazer por partes pois, além de não lembrar tudo, com certeza aparecerão mais pela frente. 🙂

gravida-duvidas

Você sentia cólicas no começo da gravidez?
Sim, sentia! Especialmente nos primeiros dias que eram os dias em que estaria menstruada. Mas não tive sangramento nenhum e a dor não era tão intensa, era mais aquele incômodo mesmo, eu sempre identifiquei aquela dorzinha como sinal de que iria menstruar e foi até por isso que decidi fazer o teste de gravidez (farmácia) só no segundo dia de atraso. Foi uma coisa doida, no primeiro dia de atraso eu mal conseguia fechar a calça pois além da cólica eu me sentia bastante inchada!

Sua médica cobrou o parto?
Sim! Apesar de que no meu caso foi pelo particular pois ela não era credenciada ao meu convênio, mas sei que mesmo com convênio ela cobra uma taxa, é errado sim mas dificilmente aqui em São Paulo você irá achar quem não cobre. A Doutora me explicou que o repasse do convênio para eles é muito pequeno então eles precisam complementar.

Sentia muita vontade de fazer xixi logo no começo? E os seios incharam?
Sentia bastante! Engraçado que a gente espera sentir essa vontade de ir no banheiro mais pro final mas no começo também sente, mas com o tempo vai amenizando e piora no final. Com os seios foram a mesma coisa, no começo sente inchar bastante, fica dolorido e depois melhora.

Quantos quilos engordou na gravidez?
Dezesseis, isso mesmo, d-e-z-e-s-s-e-i-s-q-u-i-l-o-s. Não passei um mês sequer sem engordar menos de 1kg, e vou dizer mais ainda, não tive muitos episódios de fome da Etiópia (rs), só passei a comer de 3h em 3h e não tinha esse hábito anteriormente.
Minha médica nunca pegou tanto no meu pé pois pesava só 50kg (dentro do IMC normal) e no final da gravidez estava com 66kg.

Quando conseguiu voltar ao seu peso normal, fez algo diferente para isso?
Com 1 mês amamentando já voltei a usar calça jeans de antes da gravidez, no meu caso foi muito rápido, mas ainda estava com 3kgs a mais do meu peso. Esses 3kgs foram os mais difíceis de sumir… Não sei ao certo quando os perdi, mas posso dizer que não fiz nada de diferente a não ser amamentar…

Você inchou no final da gravidez?
Eu inchei super pouco e em poucos dias, no final da minha gravidez estávamos em Janeiro, então imagina o calor (aliás uma pausa aqui… Eu sentia MUITO calor, MUITO mesmo)… Não sei se realmente isso foi primordial mas fazia sessões de drenagem linfática 1x por semana, e aqui vai também uma dica: não faça com qualquer profissional, exija que seja um fisioterapeuta porque a drenagem feita de maneira errada pode trazer muitos malefícios.

Com quanto tempo você conseguiu descobrir o sexo do bebê?
Descobri em um ultrassom com 16 semanas. Muitas pessoas conseguem já ter uma inclinação no primeiro morfológico feito com 12 semanas, mas a médica que fez o meu não quis “chutar” de jeito nenhum, então tive que ficar ansiosa por mais 1 mês.

Com quanto tempo sentiu o bebê mexer? E o pai sentiu quando?
Normalmente a primeira vez que se sente mexer é como se tivesse algo borbulhando dentro de você (ou seja, pode ser confundido com gases, rs) e no meu caso aconteceu com 16 semanas. O meu marido foi sentir só com 21 semanas pois a gente inicialmente sente por “dentro” só depois de um tempo é que fica mais perceptível para quem toca na barriguinha, pelo menos na maioria dos casos que vi e comigo foi assim.

Quando você ia ao banheiro tinha medo de fazer força?
Raramente eu pensava nisso mas conheço bastante gente que ficava nessa neura de fazer força e algo acontecer com o bebê… Acho que é coisa da nossa cabeça mesmo, rs.

Você demorou pra engravidar? Foi planejado?
Sim, planejamos a gravidez mas não imaginávamos que seria tão rápido! Em nosso primeiro mês de tentativa que nem estávamos tão pensando nisso aconteceu! Eu esperava que fosse demorar um pouco mais mesmo porque minha GO tinha me dito que 85% dos casais demoram até 1 ano de tentativa para ter o primeiro filho, então se você é tentante não desanime, 85% é gente pra caramba!

Espero ter ajudado a esclarecer algum ponto, vale lembrar que cada gravidez é única e cada mamãe sente as coisas a sua maneira.
Se tiver alguma dúvida, entre em contato! Quem sabe eu possa ajudar mesmo de longe? 😉

Anúncios

O meu parto foi cesárea e viva a liberdade de escolha!

Bom, mas um assunto polêmico por aqui!
Hoje vim contar como foi meu parto e porque fiz a escolha pela cesárea e já vou avisando: toda mãe tem direito de optar por aquilo que vai achar melhor para ela e seu filho, seja qual for o tipo de parto.

foto-bebe-barriga

Me incomoda um pouco esse julgamento que vejo muitas pessoas fazerem, o fato é que a maneira que você trouxe seu filho ao mundo não te classifica como melhor ou pior mãe e fim de papo! Cada pessoa nesse mundão de meu Deus é diferente uma da outra, e cada uma sabe de suas limitações e onde o calo aperta, então coleguinha não vamos discriminar a mãe que optou por ter seu filho através de um corte na barriga… Ela também sangrou, e até mais! Também sentiu dor e também se emocionou e chorou ao ouvir seu filhote chorar pela primeira vez ao encher seu pulmãozinho, seja qual for a maneira que veio ao mundo tenho certeza que a capacidade de amar dessa mãe é a mesma!

Terminando a nossa introdução, vamos ao relato do meu parto cesáreo. 🙂

Durante a gestação o Pedro sempre foi um bebê grandinho! Pudera, eu tenho meus 1,60m (tá bom, tá bom… São 1,59 e MEIO :p) mas o pai com os seus 1,91m! Minha GO com seus 30 anos de profissão e experiência no início achava que devíamos tentar o parto normal, mas com o passar dos nossos milhares de ultras (já disse aqui que fui uma compulsiva por ultrassons, né?!) fomos constatando que o Pedro era um bebê percentil 75 para mais! Teve momento que foi até percentil 97! Ou seja, um meninão!

Uma pausa para explicar o que significa esses “percentuais”. Nos ultrassons para todas as medidas que são tiradas do bebê existe uma tabela referência que se chama Hadlock. Essa tabela indica onde o seu bebê se enquadra durante o período gestacional de acordo com percentuais.

Explicando como fazer a leitura, percentil é mais ou menos o seguinte: p50 quer dizer que está na média, p10 quer dizer que 10% dos fetos naquela idade gestacional tinham aquele peso ou medida. p90 quer dizer, ao contrário, somente 10% dos fetos tinham aquele peso ou medida naquela idade gestacional.

Voltando… Então acabamos optando pela cesárea. Só que eu queria que ele desse seus primeiros sinais para vir ao mundo no tempo dele. E graças a Deus foi assim que aconteceu. Quando eu estava nas últimas semanas fui fazer o cardiotoco e constataram as primeiras contratações, de início eu não sentia quase nada, apesar do aparelho mostrar que a intensidade era até grandinha… Naquela semana eu faria 39 semanas. E aí a nossa previsão que era pra semana que completaria 40 precisou ser adiantada! E aí que o negócio pegou… Era a semana que antecedia o carnaval… O Hospital e Maternidade Santa Joana estava lotado de reservas nas duas semanas, antes e depois do carnaval, com muito custo conseguimos a data do dia 13 de fevereiro (porque era sexta então muita gente supersticiosa não deve ter “escolhido” essa data) e eu como não queria marcar fiquei com o que acabou sobrando. Só que as contratações começaram a aumentar e ainda era começo da semana e eu comecei a entrar em pânico! Fiquei de repouso completamente, o dia todo na horizontal sem fazer nenhum tipo de esforço… Só que na quarta-feira daquela semana não deu, precisei passar no pronto atendimento do Sta Joana e estava com 1,5cm de dilatação e o hospital não tinha vagas mesmo, estavam até removendo para outros hospitais e eu queria que o Pedro nascesse lá!

Foi aí que fui medicada pra sentir menos dor e aguentar até sexta, não adiantou muita coisa… Chegando em casa ao ir fazer xixi meu tampão caiu! E quando fui tomar banho notei meu sutiã todo sujo amarelado… Era meu colostro já dando as caras.

Passei quinta-feira quietinha na minha mãe, as dores ficaram sem ritmo e não tivemos nenhum susto, graças a Deus! E às 3h da matina, depois da tentativa frustrada de dormir um pouco porque a ansiedade estava a mil, lá fomos nós para a maternidade! O Pedro viria ao mundo ❤

Ele nasceu no Santa Joana, que não tenho uma vírgula para falar, fui muito bem atendida especialmente pela equipe de enfermeiras! Às 07h50 escutei o seu choro, a emoção é indescritível, imensurável… Lembro de tentar conter as lágrimas para poder enxergar ele melhor… E que delícia sentir ele se acalmar ao ouvir minha voz… Pedro nasceu com 48cm, 3675kg (peso no percentil 76) e cabeça 35,5cm (percentil 79!).

Mamou quando cheguei no quarto, umas 2h ou 3h após o parto, e pegou certinho! Continua mamando até hoje, com 4 meses e meio somente o leite materno.

A minha recuperação da cesárea foi bem tranquila, já no hospital depois de sair do jejum eu já estava andando. Senti pouca tontura, somente na primeira vez que levantei… Não tive pontos externos, foi tudo colado e a recuperação da cicatriz está ótima! Graças a Deus! 🙂

Não estou querendo aqui dizer que a cesárea é melhor que um parto normal, longe disso!
Mas acho que cabe a cada mãe decidir como quer trazer seu filho ao mundo dentro de todo o acompanhamento médico e acontecimentos da sua gestação. As pessoas precisam praticar mais isso, seja qual for a escolha da mãe por normal ou cesárea, ela tem o direito dessa escolha.

Afinal, a mãe é que sabe o que seu coração diz, e intuição de mãe nunca falha.

Fatos estranhos (ou engraçados) da minha gravidez

Contarei alguns fatos (meio estranhos ou engraçados, vai da interpretação de cada um, rs) sobre a minha gravidez, coisas que as pessoas nos falam mas que cada grávida sente da sua maneira, logo resolvi colocar pra vocês a minha experiência e quem sabe você também tenha passado ou pensado da mesma maneira que a mãe de primeira viagem aqui.
foto-minha-barriga-gravida

– A primeira mexida do bebê pra mim pareceu gases, difícil explicar, parecem bolhinhas explodindo na barriga. Vamos combinar que é terrível pensar que você ficará na dúvida se é o seu lindo bebê se mexendo ou um “pum” dando uma volta na sua barriga;

– Todo mundo fala sobre a vontade de fazer xixi toda hora mas não te contam que em uma só noite você poderá levantar CINCO VEZES pra ir no banheiro em um período de 7 horas;

– Possivelmente terá uma constipação intestinal ferrada e morrerá de medo de adquirir uma hemorróida que é super comum em grávidas;

– Vai morrer de saudade de dormir largada de bruços e vai pensar nisso assim que deitar na cama sem o bebê na barriga, mas vale dizer que mesmo depois os peitos cheios de leite não deixam (pelo menos no meu caso);

– Tem dias (tem gente que sente isso a gravidez toda, eu tive só alguns episódios – ainda bem porque sem esses episódios eu engordei 16kg no total, imagina com eles!) que você tem uma fome de um habitante da Etiópia, que não adianta comer pois parece que tem um buraco negro na sua barriga e NADA irá satisfazê-la;

– Que eu não iria gostar muito da pergunta que trocentas pessoas fazem toda hora: “como está o bebê?”, enquanto não sentisse ele mexer pois, vamos combinar… não tem como saber se as coisas estão bem mesmo! E que isso me tornaria uma compulsiva por ultrassons até que ele começasse a mexer e assim eu ficasse mais tranquila;

– Morreria de curiosidade de saber o sexo mas… quando soubesse continuaria com receio de alguém ter errado e só acreditaria mesmo depois de ver o documento (também no meu caso) em 3D;

– Muitas pessoas acreditam que você fará 9 meses e como um passe de mágica o bebê nascerá no mesmo dia ou no dia seguinte (isso mais entre os homens), elas não sabem que a gestação é contada por semanas e que pode durar até 10 meses!

– Senti muita dó dos soluços que ele tinha na minha barriga, mesmo sabendo que não são como os que a gente conhece, esses são para treinar o aparelho respiratório dele e indica que está tudo bem com o bebê;

– E por último, mesmo tendo seu bebê lindo agora do lado de fora… olhará as fotos da sua barriga grandona, linda e morrerá de saudade, pode até ser que escape uma lágrima teimosinha… ️❤

E você, passou por alguma dessas situações?

Driblando a ansiedade: Brincadeiras para descobrir o sexo do bebê

Antes de engravidar, sempre dizia que faria o exame de sexagem fetal, que dá pra descobrir o sexo a partir da 8ª semana, mas tive a minha primeira prova de como nossa forma de pensar muda quando viramos mãe (e isso acontece desde o primeiro dia). Fiquei pensando que abrir um papel e saber o sexo do bebê de uma forma tão “impessoal” não seria tão emocionante como vê-lo na telinha e sentir aquela ansiedade de ouvir o médico dizer o que ele estava vendo (é lógico que é uma opinião pessoal e não condeno quem fez, claro!). Foi assim que decidi esperar para saber o sexo pelo ultrassom como a maioria da pessoas.

CLARO que isso não mudou a minha maneira de ser uma pessoa ansiosa ao extremo, por isso fiz vários testes e brincadeiras durante esse período.

Vou descrever as brincadeiras/testes que fiz e o resultados delas, por incrível que pareça, a maioria deu certo! E a mamãe também tinha o sentimento de que era um menino, a médica que fez meu ultrassom disse que a maioria não erra, então vale a pena dar valor ao nosso sexto sentido (que como mãe fica mais aguçado ainda).

menino-ou-menina

BRINCADEIRA DA CADEIRA (GARFO E COLHER)
Uma pessoa deve pegar 2 cadeiras e colocar embaixo do assento preso com fita crepe: uma colher e da outra um garfo. Chame a gestante e peça pra ela escolher um local e sentar, logo que ela sentar veja se era garfo ou colher na cadeira escolhida, garfo é menino e colher é menina.
Resultado do meu: MENINA.

BRINCADEIRA DA AGULHA
Uma pessoa deve pegar uma linha e passar na agulha, pedir que você estique a sua mão esquerda e, segurando pela linha, mirar a agulha na sua mão. A pessoa não deve mexer a agulha, precisa ficar com ela parada e a agulha deverá pender de um lado para outro ou girar em círculos. Caso ela faça o movimento de vai e vem é menino, se a movimentação for circular é menina.
Resultado do meu: MENINO.

TESTE DO SITE BABYCENTER
Quem não é a mulher que passou a adolescência fazendo milhares de testes das revistas, não é?! Hahaha.
Esse é bem nesse estilo, perguntas com múltipla escolha nas respostas e que dão o resultado mais provável. O legal é que tem até os motivos realizados em cima de pesquisas: aqui!
Resultado do meu: MENINO.

TABELA CHINESA
Existem milhares dessa tabela na internet, tomem cuidado pois elas apresentam diferenças entre elas. Eu peguei uma que a Ana Maria Braga usou em um programa dela (que foi editada visualmente) pois acredito que a emissora tenha feito algum tipo de pesquisa pra divulgar a correta.

A história é interessante: A tabela existe há mais de 700 anos e a tradição diz que ela foi enterrada em uma tumba de uma família real da China. Atualmente a tabela original está no Instituto de Ciência de Pequim. Nos países do oriente, o uso é muito difundido e estima-se que o índice de acerto pode chegar até 93%.

Bastante essa porcentagem de acerto, né?!
Resultado da minha: MENINO.

tabela-chinesa

E aí, dá pra matar um pouco o que está te “matando”?
Boa sorte nessa fase deliciosa, eu sinto saudades. 🙂

O momento mais feliz da vida de uma mulher: o nascimento de um filho

Quando somos crianças, nós mulheres, sempre brincamos de ser “mãe”. Um instinto puro que nasce com cada ser do sexo feminino.
Passamos a adolescência com medo que isso aconteça de forma adiantada, e às vezes desenhamos até um mundo onde nada te “prenda”, e para isso não se pode ter filhos.

O tempo passa, fazemos a faculdade, trabalhamos, encontramos o amor da nossa vida e aí a etapa é planejar o casamento, comprar a casa, preparar o enxoval, que época gostosa!

E após o casamento, surge a necessidade de dar um passo na vida a dois, um passo de tamanha responsabilidade, que deixa você num misto de êxtase e medo. Medo do desconhecido. Será desconhecido mesmo? E o instinto que nasce com cada mulher?

No nosso caso, Pedro foi um bebê planejado e esperado com muito carinho, graças a Deus. Quando nos mudamos para nossa casa após casados já sentíamos a necessidade de sermos pais. E começamos a tentar… realmente o nosso tempo era o mesmo tempo de Deus, e logo na primeira tentativa eu fiquei grávida.

GRÁVIDA! Agora era pra valer. Eu ia me tornar mãe efetivamente após 9 meses!
Minha gravidez foi muito tranquila e abençoada e o Pedro nasceu com muita saúde no dia 13.02.15 às 07h50, de parto cesáreo na Maternidade Santa Joana em São Paulo.

Hoje ele está com 2 meses e 1 semana, e agora encontrei a necessidade de expor um pouco dessa aventura deliciosa com surpresas diárias que é ser mãe, especialmente de primeira viagem, onde tudo é novidade.

Aqui conversaremos sobre as minhas descobertas, dúvidas e evoluções de um bebê muito amado. Sejam bem vindas, mamães e futuras mamães! 🙂